Voltar

Programa-piloto Boas Práticas na Fazenda é lançado como roteiro de sustentabilidade e lucro

Boas Práticas na Fazenda é lançado como roteiro de sustentabilidade e lucro



A CCPR está lançando o programa-piloto Boas Práticas na Fazenda, que faz parte do Fazenda Nota 10. Ele é um incentivo para o produtor se orientar por meio de um conjunto de ações que resultarão em maiores e melhores resultados na atividade. Com essa parceria, os sistemas de produção de leite se profissionalizam ainda mais, e toda a cadeia sai ganhando.

O programa é um sistema unificado de controle. O objetivo da CCPR é dar ferramentas para o produtor aprimorar seus processos internos, e as ações não se restringem ao gerenciamento da atividade. Visam também ao manejo responsável dos animais e ao controle da qualidade do leite. Pela perspectiva do cooperado, as diretrizes claras são referências de alinhamento a padrões de eficiência que, com certeza, vão se traduzir em ganhos.

"Nosso compromisso é auxiliar o produtor a obter leite de qualidade, com maior eficiência. Quando ele consegue fazer isso, não fica tão susceptível às variações de mercado. Então, é uma garantia de sobrevivência. Um dos pontos fortes da CCPR é justamente esse viés da tradição, de ser cooperativa, de estar sempre no campo, auxiliando o produtor em tudo o que ele precisa", explica Bruna Leonel, supervisora de Projetos Agropecuários da CCPR Leite.

A iniciativa é sustentada em quatro pilares. O grupo Gestão inclui a identificação dos animais do rebanho e a dos que estão em tratamento, os registros zootécnicos e os econômicos, a gestão da qualidade do leite, a definição das funções dos funcionários e a gestão à vista. O Bem-Estar Animal prevê a ausência de maus-tratos na propriedade, os registros de vacinações e medicamentos, os protocolos de tratamento e o fornecimento de alimentos com boa procedência O pilar Qualidade trata da rotina de ordenha, da limpeza dos equipamentos e do ambiente, e da boa procedência da água fornecida. Por fim, Infraestrutura estabelece os requisitos técnicos para as salas de leite e de ordenha, e para o armazenamento de medicamentos e alimentos.

"O interesse maior com esse projeto é promover a seguinte reflexão: produzo leite, mas produzo de forma responsável, respeitando o meio ambiente? Estou comprometido com a entrega ao consumidor final? O ambiente de trabalho que ofereço contribui para melhorar o desempenho da minha equipe de funcionários? Minhas vacas vivem e são tratadas com conforto? Se a preocupação com esses e outros assuntos ainda não está na pauta da fazenda, o que falta é instigarmos isso", afirma Juliano Antônio Nogueira Silveira, gerente de Suprimento de Leite da CCPR.

O piloto desse programa começou a ser executado no mês passado, em caráter modular. Nesta primeira fase, o programa resultará em um reconhecimento básico das propriedades rurais a partir de um checklist verificado in loco. Cada pilar é composto por requisitos obrigatórios, que são práticas já correntes e preconizadas no segmento lácteo, além dos itens de boas práticas. Neste primeiro momento, a partir dos dados coletados nas visitas às fazendas, o fornecedor participante que cumprir 100% dos requisitos obrigatórios e 75% dos complementares receberá o reconhecimento do Boas Práticas e um quadro especial para ser afixado na propriedade.

"Queremos transformar este quadro afixável em um padrão de reconhecimento dentro do Fazenda Nota 10. Claro que o produtor que tiver esse quadro na propriedade vai ser visto de forma diferente, não só pela CCPR, mas pelo mercado. É algo focado na velha frase: 'bom exemplo é aquele que faz bem feito'. Nossa expectativa é que as fazendas tenham as paredes cheias desses quadros, como reconhecimento por vários aspectos", estima a supervisora de Projetos Agropecuários.

A adesão ao programa é voluntária e gratuita, e, inicialmente, 200 produtores participam do piloto. Eles foram convidados por já fazerem parte do Programa de Melhoria da Qualidade do Leite (PMQL) e do projeto Educampo. O Boas Práticas na Fazenda está sendo desenvolvido em parceria com a QCONZ América Latina. A empresa de consultoria e auditoria da Nova Zelândia é a principal referência daquele país em pecuária leiteira. Ela já desenvolve esse tipo de parceria com outras companhias brasileiras da cadeia láctea, e essa expertise internacional na implantação de sistemas de boas práticas é o ponto de partida da CCPR para formatar o novo programa.

Todas as etapas do programa são gratuitas - um diferencial garantido pela CCPR -, incluindo os materiais de registro, procedimentos afixáveis e as visitas da equipe da QCONZ para repasse das orientações técnicas aos produtores.

E esse é só o começo. A partir deste programa, a CCPR espera criar diretrizes para regulamentar o fornecimento de leite. Assim, para comercializar seu produto, o cooperado teria que se adequar aos itens básicos, e as boas práticas seriam um extra. Após a conclusão da fase inicial, a CCPR lançará um novo estágio do Boas Práticas, com formato mais avançado e ajustado em relação aos resultados obtidos nas 200 primeiras propriedades. Novos produtores serão convidados a participar nesse modelo mais amplo, até que todo cooperado faça parte e se beneficie desses cuidados que farão toda diferença em sua fazenda.

Informativo do preço do leite pago ao produtor ccpr

De acordo com a lei 12.669 de 19 de junho de 2012, informamos o preço bruto mínimo pago pelo leite a ser fornecido em Outubro de 2018.